Habitantes de Córrego do Feijão, comunidade mais próxima à barragem, dizem que relação oficial só inclui ligados à Vale

Por
Guilherme Venaglia, de Brumadinho (MG)

access_time

26 jan 2019, 18h33 – Publicado em 26 jan 2019, 18h30

Moradores do bairro Córrego do Feijão, região de Brumadinho (MG) mais próxima da barragem da mineradora Vale que rompeu na região, reclamam da falta de informações oficiais sobre desaparecidos do bairro, sobretudo os que não são funcionários da empresa.

“Têm muitas pessoas da comunidade desaparecidas que não estão nas listas. Nós ficamos aqui sem nenhuma informação”, critica a auxiliar de cozinha Cleidiane Paula, de 24 anos, que está desde ontem sem contato com a mãe, o cunhado e a melhor amiga, que trabalham na pousada Nova Estância, soterrada pelos rejeitos.

Para driblar essa limitação, grupos reunidos no centro comunitário do bairro fizeram uma lista extraoficial de moradores desaparecidos. No espaço, que abriga mantimentos doados e assistentes sociais.

“Se não fossem as ONGs e os voluntários, nós estaríamos às traças”, diz Erika Couto, de 32 anos, também ajudante de cozinha, que também critica a ausência de uma lista que inclua nomes de fora da empresa. “Muitas pessoas na comunidade estão procurando entes queridos que não eram da Vale e eles não aparecem como desaparecidos”, lamenta.

Tanto Erika quanto Cleidiane estão com as residências inafetadas, mas estão sem fornecimento de energia e desabastecidas.

Procurado, o Governo de Minas Gerais informa que os que não encontrarem pessoas próximas em lista oficial de desaparecidos devem procurar a Polícia Civil.



Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here