Kátia Abreu afirmou, em nota, não ter entendido qual seria o escopo da investigação quando apoiou a medida e disse tentar evitar “uma crise de Poderes neste momento”.

A senadora Katia Abreu (PDT-TO) justificou o fato de ter retirado de última hora sua assinatura para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a atuação do judiciário nos Tribunais Superiores.

Com os pedidos de retirada dela e dos colega Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Eduardo Gomes (MDB-TO), o requerimento de criação da comissão acabou arquivado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Segundo o Congresso em Foco, um trecho da nota da senadora afirma:

“Inicialmente, a senadora acreditava que a CPI investigaria sentenças diferentes para casos semelhantes em todo o país, em todas as instâncias. Mas ela não concorda com o foco no STF. Para a senadora, não é bom para o Brasil e para as instituições abrirmos uma crise de Poderes neste momento.”

O requerimento da CPI, protocolado na última quinta (7) pelo senador Alessandro Vieira (PPS-SE) deixava claro que o objetivo era “investigar o exercício exacerbado de suas atribuições por parte de membros dos Tribunais Superiores do País”.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou qualquer envolvimento com o arquivamento da CPI, que foi apelidada carinhosamente de Lava Toga, conforme noticiou a RENOVA.



Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here