O governador João Doria: paredes lisinhas no Palácio dos Bandeirantes

access_time

15 mar 2019, 07h00

Ao assumir a prefeitura de São Paulo, há dois anos, JOÃO ­DORIA doou dois quadros de sua coleção para decorar o gabinete. Os visitantes do prefeito não se aguentavam diante de seu gosto, digamos, desenxabido: as obras eram de Romero Britto (imagine se fossem esculturas da primeira-dama, Bia Doria). Agora que assumiu o governo paulista, Doria ataca de novo de decorador. Na reforma que mandou fazer na ala residencial do Palácio dos Bandeirantes, a parede antes tomada por quadros do acervo da casa — composto de 4 000 itens, que vão de Tarsila do Amaral a Candido Portinari — ficou lisinha. “As obras são volantes entre os cômodos”, justificou em resposta enviada a VEJA.

Publicado em VEJA de 20 de março de 2019, edição nº 2626

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema deste artigo? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br



Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here