Em seus dois primeiros meses de mandato, o senador Alessandro Vieira (PPS-SE) comprou a briga com os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Aos 44 anos, o delegado da Polícia Civil coletou duas vezes assinaturas exigidas para a instalação de uma CPI destinada a investigar a conduta de magistrados dos tribunais superiores.

A CPI, apelidada de Lava Toga, parou na presidência do Senado nas duas oportunidades.

O senador Alessandro Vieira, porém, não desiste e ainda aposta suas fichas em um recurso que está para ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Para o senador, os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, ambos do STF, precisam vir a público esclarecer suspeitas que recaem sobre eles.

Segundo o Congresso em Foco, Alessandro declarou:

“Precisamos discutir a relação do Toffoli com o Banco Mercantil e do Gilmar com o Bradesco. Os contatos políticos constantes deles.”

O senador acrescentou:

“Por que Gilmar desembarcou na casa do Rodrigo Maia [presidente da Câmara] quando Moreira Franco [ex-ministro e sogro de Maia] foi preso? Toffoli fala de política o tempo todo. Isso não é função de um ministro.”

Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here