Queiroz é investigado porque o Coaf detectou uma movimentação considerada atípica em sua conta bancária.

A Justiça do Rio de Janeiro negou nesta quinta-feira (25) pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para interromper a investigação conduzida pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) contra seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

O parlamentar alegou que durante a investigação, a pedido do MP-RJ, seu sigilo bancário foi quebrado sem autorização judicial.

O desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, da 3.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), negou o pedido alegando que a investigação não se baseia em dados sigilosos obtidos irregularmente.

Em nota divulgada no início da noite, Flávio afirmou que “fica cada vez mais claro para o Brasil que não fez nada de errado”.

“Vou recorrer a todas as instâncias para fazer valer meu direito e para responsabilizar aqueles que tentam atacar minha reputação ilibada com acusações absurdas e fantasiosas”, completou o senador, segundo o jornalista Fausto Macedo.

Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here