A chamada “maconha light” é permitida na Itália desde janeiro de 2017, o que deu impulso à abertura de lojas por toda a península.

O ministro do Interior e vice-premiê da Itália, Matteo Salvini, declarou “guerra à maconha” e anunciou nesta quinta-feira (9) o fechamento de três lojas de produtos derivados da cannabis.

Esse tipo de negócio, que vem se popularizando no país, comercializa itens que contam com o princípio ativo da maconha, o THC (Tetraidrocanabinol), mas em um índice abaixo do limite de 0,2% imposto por lei.

Durante um comício em Pesaro, Salvini declarou:

“Agradeço às forças de ordem e à magistratura porque está em curso o fechamento de três cannabis shops em Macerata, Porto Recanati e Civitanova Marche.”

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

E, segundo a agência ANSA, acrescentou:

“A partir de hoje, começa uma guerra rua por rua, loja por loja, bairro por bairro, cidade por cidade.”

O ministro define esses estabelecimentos como “pontos turísticos da maconha” e os acusa de vender cannabis com níveis de THC acima do permitido por lei.

Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here