Em 4 de julho de 1990, quando concedeu sua primeira entrevista de Páginas Amarelas a VEJA, o então comentarista televisivo Paulo Roberto Falcão ainda não tinha a certeza de que seguiria carreira como técnico de futebol.

Poucos meses depois, porém, acabou assumindo um grande desafio: o de conduzir a seleção brasileira após a melancólica eliminação na Copa do Mundo da Itália. Vinte e nove anos mais tarde, Falcão, ídolo das torcidas de Internacional, São Paulo e da Roma, ainda se vê como um treinador.

Nesta nova entrevista para Amarelas, o catarinense diz que ainda se emociona com o futebol bem jogado, o que infelizmente está cada vez mais difícil de se encontrar nos gramados do país.

Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here